Bem vindo a Uma vida...na estrada


Uma vida... na estrada.
reflexões, historias, acontecimentos, desabafos; uma vida!

uma vida...
por vezes ate pensada como perdida;
mas sempre vivida!!
se bem aproveitada ou não;
isso já é outra discussão!!
-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. Digam o que disserem!!! Sou como sou; não como querem que eu seja!!!.-.

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

sem nada de mais

Pois foi assim, desde ontem, Paris como já estava á espera estava com desvios, mas quem sabe sabe e o melhor mesmo foi desviar directo para o Boulevard Periferique (acho que é assim que se escreve) e foi uma de dar gás (?!?!) e passar em direção ao sul, para não me contaminar como diz o outro eheheh (o quinzinho de Portugal, sim, escuto musica popular e brejeira tambem!!)
Entretanto hoje o dia esteve assim de nublado, encontrei um velho amigo das estradas e o almoço foi em boa companhia!

No entanto na Radio Portuguesa (de portuguesa tem pouco mais que o nome) escutei umas cenas um pouco curiosas (no minimo) uma delas o caso duma criança que tinhas sido entregue a um casal porque a mãe biologica era toxicodependente, vem agora ao fim de 6 anos mudar de opinião, ao que parece (segundo o que escutei) a mãe biologica continua com o mesmo problema, o suposto pai vai pela mesma linha, só ainda não entendi (e pode ser só minha falha a falta de compreensão) porque é que a vão "devolver" se os problemas são os mesmo da data de nascenca da criança, mas pronto; deve ser daquelas coisas que ultrapassam o meu conhecimento..

Uma outra noticia que me deixou a pensar, o caso de uma senhora que ao que parece está bem doente e não lhe dão a reforma antecipada, obrigando-a a trabalhar; bem sei que é mais uma coisa que ultrapassa a minha compreensão, mas; a uns não deixam trabalhar mais horas, a outros obrigam a trabalhar mais anos?!?

Mais uma outra coisa que acompanhei mais ou menos por alto, o caso ou os casos de violência nos arredores de Paris (uma vez mais em evidência neste blog)

lá por uns miudos serem atropelados por um carro da policia e ao que informam alem de irem sem capacete, sem documentos nem carta e sem seguro (obrigatório) ainda foram os culpados, acho que os "amigos" desses miudos não têm o direito de provocar uns quantos disturbios na zona, incendiar casas e carros...

Estes "jovens" descendentes de arabes emigrados em França aproveitaram o facto apenas para se divertirem com um pouco mais de violência gratuita e estupida alem de ser totalmente despropositada não vejo a ligação que eles fazem e em que culpam os policias (haviam de ser camionistas e viam o que é ser pressionados pela policia francesa)...

Estou em total desacordo com um comentario feito por um emigrante tuga em que comparava com o exemplo de que na aldeia dele (é rico, já tem uma aldeia, eu só tenho um terreno de poucos metros quadradis) os "jovens" andavam com as motoretas a fazer muito ruido e que isso é falta de educação dos pais e que jovens assim nunca dariam nada, apenas seriam um apendice na sociedade e um "chamador" (palavras do tipo) de problemas....

Ora eu tambem fui desses "jovens" que tinha uma motoreta a fazer muito ruido e vejo agora que ja estava "condenado" desde essa altura, vim o resto do dia a pensar nisso e tambem ainda não achei a ligação do exemplo dado por ele com o que se tem verificado (agora assim como há dois anos atras) nos arredores de Paris...

Será que ele só estaria a falar mal do neto, do sobrinho, ou quem sabe do proprio filho dele?!?!?!?

Que raio de mania, trocam de país, chegam a presidentes de uma associação de portugas que terá no maximo uns 200 socios e já se acham presidentes da republica das bananas??? ( o que acaba por ser mais ou menos verdade)

OU estaria apenas a tentar se destacar na comunidade lusa lá do bairro onde ele mora???

Fica o pensamento no ar

From Pasaia, España

3 comentários:

Kátia disse...

Deve ser mais um desses "betinhos" ou "mauricinhos" que existem lá e cá e que irrita-nos a mostrar seus carrões e motocas novas como se a vida fosse apenas isso.

O melhor a fazer? Nada.Não dar a importância que com certeza eles não tem.

Amsilva disse...

Katia
não é de todo impossivel ignorar uma estupidez maior (muito mesmo, segundo a minha opinião), maior que a minha, mas ao nao ser de todo impossivel resta uma pequena margem que permite esquecer o assunto em dois dias!!

Vanessa Lourenço disse...

E assim se escrevem actas em Portugal. Uns pais toxicodependentes que se acham no direito de reaver( como se a criança fosse um objecto vendido) a criança porque ao fim de 6 anos se lembraram, provavelmente enquanto estavam com uma granda jarda "olha, é verdade, lembras-te daquela filha que tivémos há coisa de 6 anos? onde é que a deixámos?", o mais giro é que os tribunais ainda acham estes casos recorrentes, enfim...
A senhora meteu mais uma baixa de 30 dias, o que é ridículo, ora uma pessoa sem condições para trabalhar e que quer a reforma? nem pensar, nós queremos é cá chulos que enganam a segurança social, isso é que é!...
Quanto aos jovens, lol, cada caso é um caso, mas sinceramente a geração que está uns 5 anos abaixo de mim deixa muito a desejar, educação? onde? para quê? falar calão do hardcore é que é...e sim, a educação dá-se em casa. Não sou mal educada por mandar um "fodasse" numa conversa, sou mal educada na falta de civismo e desinteresse pela cultura e inteligência. Mas como o texto já vai longo e isto dava uma conversa de horas, um beijo, enorme.*